PILATES E PODOPOSTUROLOGIA NO ALINHAMENTO CORPORAL E ALÍVIO DE DORES

A casa onde vivemos, que é o nosso corpo, precisa ter uma boa base para sustentar todo o restante, assim como um alicerce precisa ser bem feito e estruturado para não ter futuras rachaduras, colocando em risco toda a casa.

No Pilates sabemos a importância da avaliação postural para início de um tratamento adequado, visando atingir os objetivos de cada aluno, identificando as alterações posturais e as patologias, para traçar um tratamento eficaz e adequar os exercícios para cada caso.

Nas aulas de Pilates trabalhamos os pés com movimentos de liberação das articulações, alongamentos, fortalecimentos, propriocepção (é o termo utilizado para nomear a capacidade em reconhecer a localização espacial do corpo, sua posição e orientação, a força exercida pelos músculos e a posição de cada parte do corpo em relação às demais) e relaxamento com massagem com bolinha de tênis. Muitos alunos queixam-se de dores nos pés. Muitas dores surgem pela má distribuição do peso sobre a planta dos pés e pelo acúmulo de tensões em certos pontos, podendo ocasionar a compressão de nervos, como no caso do Neuroma de Norton, inflamação da fáscia plantar, mais conhecido como fasceíte plantar, esporão de calcâneo, entre outras patologias.

Observando os pés dos alunos durante as avaliações, e durante as aulas, é possível perceber a necessidade de complementar o tratamento de Pilates com o uso de palmilhas ortopédicas através da Podoposturologia.

Mas o que é Podoposturologia? É o campo da Fisioterapia que estuda as alterações posturais por meio da análise dos pés. Essa técnica, de origem francesa, auxilia na prevenção e no tratamento terapêutico com a prescrição de palmilhas posturais e mecânicas termomoldadas. São utilizadas para auxiliar na correção postural e no equilíbrio. As palmilhas posturais podem ser utilizadas no tratamento e prevenção de dores na região lombar, quadril, joelho, tornozelo e pé. Corrige vícios posturais, em uma espécie de “alinhamento e balanceamento” do corpo. Os desequilíbrios que comprometem a saúde, tanto de atletas quanto de pessoas que não costumam fazer exercícios físicos. A técnica previne e trata, não apenas os sintomas das doenças relacionadas à postura, mas tudo aquilo que origina a desregulação da posição espacial do corpo (Biomecânica).  Nosso corpo têm quatro entradas sensório-motoras que podem alterar a regulação postural: os olhos, os ouvidos, a oclusão dentária e os pés.

A pisada pode refletir problemas decorrentes desse desequilíbrio, bem como determinar algumas disfunções no sistema postural. Alterações no equilíbrio comprometem, não só a base do corpo: região lombar, o quadril, os joelhos, os tornozelos e os pés, mas o corpo como um todo. Depois de fazer todas as avaliações, trabalhamos a correção da pisada. A palmilha reeduca a postura. No próprio teste, adaptamos os elementos responsáveis pela correção nos locais indicados, fabricando uma palmilha personalizada e feita de acordo com as alterações específicas observadas na avaliação.

Problemas posturais são progressivos. Uma palmilha personalizada, feita para suas alterações posturais, com acompanhamento de um especialista para verificar a evolução, exercícios regulares de Pilates com objetivo de trabalhar o corpo como um todo, alongando e fortalecendo os músculos, e um trabalho de equilíbrio e propriocepção adequados podem corrigir o problema e livrá-lo da dor.

Fonte:RevistaPilates
Anúncios

BENEFÍCIOS DO PILATES PARA DENTISTAS

download-1

Imagem:Internet

Pilates para dentistas: Uma ferramenta preventiva

Para qualquer pessoa, em qualquer nível de atividade física, o Pilates se apresenta como uma excelente ferramenta de bem-estar, saúde geral, fortalecimento do corpo, redução de dores e melhora na concentração. Porém, nesse artigo vamos ressaltar a importância do método no ambiente dos cirurgiões dentistas, uma profissão que tem como característica um enorme número de queixas laborais relacionadas à dores nas costas, tensionais e na nuca, tendinites e lesões no manguito rotador, hérnias de disco, entre outras lesões comuns aos dentistas.

MOBILIDADE ESCAPULAR

Não é preciso muito tempo para que comecem a aparecer sintomas de lesões, no entanto, a maioria dos dentistas procura alguma forma de tratamento quando o quadro já se encontra instalado. A escápula é uma estrutura óssea que serve como apoio para diversos músculos, seu movimento está intimamente ligado aos movimentos dos ombros. Através das tensões estáticas exigidas no dia a dia de trabalho dos dentistas, os músculos conectados a escápula ficam muito mais sujeitos ao acúmulo de tensões ou contraturas.

A prática do Pilates, quando aplicado de modo específico para a realidade dos dentistas, traz inúmeras possibilidades de dissociação escapular, ou seja, mobilizar e aliviar as tensões em torno da escápula. Por meio de movimentos conscientes e com a ajuda de instrutores capacitados, é possível alcançar ótimos resultados de relaxamento e alívio de tensões.

ALONGAMENTO GERAL E ESPECÍFICO

Devido a má postura e a permanência por longos períodos em posturas ergonomicamente desfavoráveis ao alinhamento corporal, os dentistas tem a tendência de possuir encurtamentos musculares de forma geral.  Com o Pilates, é possível realizar um trabalho de alongamento do corpo todo, além daqueles específicos para as articulações que recebem maior carga como ombros e coluna por exemplo.

FORTALECIMENTO GERAL E ESPECÍFICO

A permanência excessiva em determinadas posições pode gerar tensão em algumas estruturas e enfraquecimento em outras. É fundamental para o bem estar de qualquer pessoa, a busca pelo equilíbrio muscular adequado. Trata-se da relação ideal entre alongamento x fortalecimento para a manutenção de uma boa postura e estabilidade postural no dia-a-dia. Tal fortalecimento é de importância especial na região abdominal profunda, que atua como estabilizador principal da coluna. No Pilates tal região é ativada com frequência, permitindo dessa forma o seu fortalecimento.

Fonte:RevistaPilates

ESTRELAS PILATEIRAS: QUAIS FAMOSAS ADERIRAM AO PILATES

Que fazer Pilates faz muito bem para a saúde, todo mundo já sabe! É por isso que o método de Joseph tem ganhado cada vez mais visibilidade e muitas famosas estão se tornando adeptas da prática. Hoje, vamos conferir algumas pilateiras famosas. Vem com a gente!

Manu Gavassi

A atriz, cantora e it girl Manu Gavassi sempre foi magrinha e até tentou fazer musculação, mas aprendeu a aceitar o seu corpo como é e agora aposta no Pilates para se manter em forma. Em seu Twitter, a musa teen sempre fala das aulas. Por que escolheu a modalidade? “Pilates é bom para a saúde e para a mente.”. Não tem como discordar, não é mesmo?

Letícia Borghetti Kuhn – Miss RS

leticia borghetti

Eleita recentemente a mulher mais bonita do Rio Grande do Sul, a Miss Letícia Borghetti pratica Pilates há dois anos em uma academia na cidade de Espumoso. A proprietária do estúdio, Pita Güths diz que está muito feliz com o resultado da parceria com Letícia. “É uma realização ver que o trabalho desenvolvido deu certo”, conta.

Sophia Abrahão

sophia abrahao

A atriz que vai estrear no quadro “Dança dos Famosos”, do Domingão do Faustão, deixou seus seguidores do Instagram surpresos com a sua flexibilidade. Sophia Abrahão postou uma foto de um treino com bola e mostrou como consegue manter a sua boa forma. Sophia já declarou sua paixão por Pilates: “Além de fortalecer o core, deixa o abdômen incrível, e melhora a postura e a respiração. Vale a pena!”.

Thais Fersoza

thais fersoza

A Melinda nasceu no começo do mês e quem acompanhou a gestação da mamãe Thais Fersoza viu como ela se preparou para esse grande momento: com Pilates! Thais sempre postava fotos nas suas aulas e dizia que estava cuidando das duas. Fez muito bem!

Lucilene Caetano

lucilene caetano

Outra nova mamãe que também não deixou o Pilates durante a gravidez foi a apresentadora Lucilene Caetano. Ela já pratica o método há dois anos e não parou com nenhuma atividade enquanto esperava o Theo. Isso fez com que ela engordasse apenas sete quilos durante a gestação. Além do Pilates, ela também praticou acroyoga e hidroginástica, mas com o nascimento do bebê, Lucilene precisou diminuir o ritmo dos treinos, por conta da amamentação.

Fonte:RevistaPilates

PILATES: O MAIOR ALIADO CONTRA A DOR NA COLUNA

19382004052015noticiastaopilates

Imagem:Internet

Vamos fazer uma pequena pesquisa e queremos que você responda com sinceridade: alguma vez durante a vida você já sentiu dor na coluna? Pode ficar tranquilo, você não está sozinho!

Hoje, a dor na coluna é um dos principais motivos que levam as pessoas a procurarem atendimento médico. As estatísticas mostram que mais de 90% da população mundial sofre, sofreu ou sofrerá deste mal. As dores lombares são a maior causa de absenteísmo (falta no trabalho) dos brasileiros. Segundo dados da Previdência Social, somente no primeiro trimestre deste ano foram mais de 24 mil afastamentos – em média 269 trabalhadores afastados por dia devido a problemas na coluna. Também podemos colocar como um afastamento a cada cinco minutos!

Existem diversos fatores e doenças que podem desencadear esse quadro: traumatismos, osteoporose, tumores, artrose, obesidade, doenças infecciosas, gravidez, malformações congênitas, hérnias discais e doenças psicogênicas (de ordem emocional). Entretanto, a má postura e o estresse da vida moderna estão entre as principais causas da popular dor nas costas, a segunda doença crônica mais comum entre os brasileiros.

Muitos dos problemas lombares são provocados por fraqueza dos músculos abdominais, que não conseguem sustentar adequadamente as costas, sobrecarregando a coluna e os músculos dorsais.

A coluna é uma estrutura que precisa estar fortalecida para sustentar o esqueleto e, ao mesmo tempo, flexível para permitir uma grande quantidade de movimentos. Nisso os músculos exercem um papel importante, pois sustentam os ossos, principalmente junto das vértebras. Para fortalecer os músculos abdominais e da coluna, melhorando a postura e aliviar a pressão nas costas é preciso substituir padrões repetitivos e nocivos na postura e nos movimentos por outros mais seguros para o organismo. Isso demanda tempo e esforço, pois envolve o desenvolvimento da autoconsciência do corpo.

Mas, o que fazer para evitar este mal?

O método Pilates é a resposta, visto que foi criado para melhorar todos os aspectos da consciência corporal, ajudando a obter precisão no controle dos músculos, na coordenação e na fluidez dos movimentos.

Ao atentarmos aos fatores de risco para a dor na coluna, veremos que a prática regular de Pilates atua de forma positiva e eficaz em todos eles, pois é um método que trabalha o fortalecimento muscular, a correção postural, a respiração, o alongamento, a concentração e a consciência corporal, respeitando a condição física e estrutural de cada indivíduo, com ausência de impacto articular. Isso é fundamental no tratamento e prevenção de patologias da coluna. Uma pessoa acometida pela dor na coluna fica extremamente debilitada e frágil, muitas vezes impossibilitada de realizar suas atividades diárias porque a dor acaba causando uma alteração postural que pode ocasionar futuramente mais dor ainda, em um ciclo vicioso que quase sempre leva a dor crônica.

montage6

O Pilates quebra esse ciclo, fazendo com que a pessoa corrija a sua postura, fortaleça e alongue a musculatura de seu corpo de maneira global, resultando em melhor qualidade de vida. Com o método Pilates, o praticante aprende a conhecer e a dominar o seu corpo, a se corrigir quando percebe uma postura errada e a se posicionar corretamente para executar qualquer tipo de exercício ou atividade diária. A maioria dos alunos e pacientes encaminhados por médicos ortopedistas para a prática de Pilates, seja para prevenção ou para a reabilitação no pós-operatório, apresentam resultados surpreendentes, com redução das dores, melhora do seu desempenho físico e de sua qualidade de vida.

O trabalho desenvolvido durante a prática do método é totalmente personalizado e proporciona um melhor condicionamento físico a pessoas de todas as idades. O método não só alivia as dores, como dá maior percepção dos movimentos, proporciona mais equilíbrio, fortalece os músculos, aumenta a flexibilidade, a capacidade cardiorrespiratória, alivia o estresse e ainda eleva a autoestima.

As sessões de Pilates são realizadas no solo ou em equipamentos apropriados, trabalhando todo o corpo. Os exercícios são feitos de forma individualizada, conforme as limitações de cada praticante. Cada movimento exige respiração e postura adequadas, tendo como foco principal a contração total do abdome, da musculatura glútea e da região lombar, a chamada ‘casa de força’ ou powerhouse. O Pilates desobstrui a respiração, diminui a tensão dos músculos e ligamentos, melhorando o alinhamento das articulações, corrigindo a postura e acabando com as dores, o que aumenta a disposição e a autoconfiança para a realização das tarefas diárias. Dessa forma, ele é maravilhoso para ajudar a superar a dor lombar crônica e qualquer desconforto associado aos músculos, como os do pescoço e dos ombros, e as articulações.

“Um corpo livre de tensão nervosa e fadiga é o abrigo ideal fornecido pela natureza para abrigar uma mente bem equilibrada, totalmente capaz de atender com sucesso todos os problemas da vida moderna.” Joseph Pilates

Fonte:revistapilates.com.br

ABDOMINAIS DURANTE A GESTAÇÃO

cadillac1

Sim, esse é um tema bem polêmico.

São poucos estudos envolvendo gestantes, e por isso, antes de mais nada, é importante dizer que essa é a opinião da Umana Pilates e não uma verdade absoluta. Nosso princípio têm como base sempre a fisiologia e biomecânica do corpo gestante.

Posso fazer abdominal durante a gestação?

Nossa resposta é não.

Acreditamos que nessa fase os abdominais podem prejudicar. Porém, aqui estamos falando do abdominal clássico, aquele que deitamos de barriga para cima e realizamos uma flexão do tronco.

Por que não realizar abdominal na gestação?

Vamos resgatar a fisiologia do corpo gestante… Durante o período gestacional o corpo passa por diversas alterações, certo? Uma delas é o afastamento do músculo reto abdominal (diástase abdominal). Esse afastamento é fisiológico, ou seja, normal – quando acontece até 2 ou 3 cm. A diástase abdominal pode ocasionar perda de força e alavanca do músculo reto abdominal e causar prejuízo para a postura e em toda dinâmica de estabilização da coluna, além da possibilidade de desenvolver uma hérnia umbilical.

Com o aumento do volume uterino, também acontece uma sobrecarga na musculatura do assoalho pélvico, que passa a sustentar mais peso comparado ao corpo não gestante.

Quando realizamos o abdominal clássico, aumentamos a pressão intra-abdominal e, como consequência, é natural que o abdome estufe para cima e para fora durante a essa força. Isso acontece porque a pressão criada dentro abdome precisa se dissipar.

Além de abaular o abdome, o aumento da pressão intra-abdominal também acaba empurrando o assoalho pélvico para fora.

Voltando à fisiologia do corpo gestante, a intenção é que não haja uma diástase maior que 3 cm, e o assoalho pélvico já está naturalmente sobrecarregado. Queremos mais sobrecarga?

Por esse motivo acreditamos que é possível realizar a contração abdominal de outra forma.

Mas qual? Uma boa sugestão é através da estabilização dinâmica!

Com o Pilates conseguimos trabalhar a musculatura abdominal sem fazer flexão de coluna. Ao realizar exercícios de membros superiores ou inferiores com estabilização de cintura escapular e cintura pélvica, o músculo transverso do abdome contrai milésimos de segundos antes para ajudar a estabilizar o tronco.

Portanto, através de exercícios controlados de membros superiores ou membros inferiores, como é o caso do Pilates, é possível ativar o abdome.

Conclusão: o abdominal clássico não é indicado, mas não precisamos deixar de ativar o abdome. Se existem outras formas de acionar a musculatura abdominal sem causar prejuízo e sobrecarga, acredito que temos uma alternativa mais interessante, o Pilates.

 

Fonte:http://revistapilates.com.br/

Dor no pescoço?

A queixa de dor no pescoço, ou cervicalgia, é muito comum nos tempos atuais, principalmente para pessoas que trabalham com computador ou que passam muito tempo com seus celulares e smartphones.  Muitas pessoas procuram o Método Pilates como alternativa de tratamento, e com excelentes resultados.

A dor cervical pode ter duas origens bem distintas: a traumática, que tem relação com quedas, golpes na cabeça ou lesão em chicote,  e a funcional, ocasionada por lesões por esforço repetitivo, desequilíbrio muscular, hérnia discal e postura inadequada. A má postura é a principal fonte de dor, especialmente quando associada à atividades que exigem esforços estáticos e de baixa carga na coluna cervical e nas escápulas, como por exemplo, assistir um filme na tela do seu tablet.

Veja no desenho abaixo qual a sobrecarga imposta à sua coluna cervical, conforme a sua cabeça inclina-se para frente:
cervical 1

Imagem:Internet

O Método Pilates é uma excelente escolha de tratamento, principalmente, por restabelecer um equilibro muscular, por melhorar a postura, o controle muscular e consequentemente a consciência corporal.

Deixamos aqui algumas dicas de como lidar melhor no seu dia-a-dia com as sobrecargas impostas aos seus ombros e pescoço:

1) Quem trabalha com o  computador deve fazer pausas em intervalos para movimentar a cabeça e os ombros. Alongamentos são muito bem vindos.

2) Ajuste a tela do seu computador, de forma que que você não precise inclinar a cabeça para baixo para enxerga-la. Lembre-se que quanto mais inclinada a sua cabeça, maior o peso a ser sustentado.

3) Atenção à sua postura! Para saber se a cabeça está no alinhamento correto, verifique se o lóbulo da sua orelha está alinhado com o seu ombro. Consciência corporal é a chave do tratamento!

Lembramos que antes de propor qualquer tratamento, uma rigorosa avaliação para compreendermos a origem da dor é necessária. Mesmo as alterações posturais podem estar comprometendo outas estruturas como articulação temporo-mandibular (ATM), escápulas, ombros, costelas, e até mesmo o sistema nervoso periférico.

Agende sua avaliação com a nossa equipe de fisioterapeutas e venha fazer Pilates com a gente!

 

PILATES APLICADO A DOENÇA DE PARKINSON

massagem no df

Imagem:Internet

O método Pilates apresenta muitos benefícios que visam à prevenção e a redução dos riscos de lesões, além de trazer alívio às dores crônicas, especialmente os problemas de coluna. A técnica abrange todo o corpo de maneira uniforme e busca fortalecer, equilibrar e alongar a coluna vertebral, proporcionando descompressão das tensões existentes.

Por esse motivo, o Pilates é uma técnica muito indicada para a reabilitação de pacientes com mal de Parkinson, uma doença neurológica que se caracteriza principalmente pela lentidão dos movimentos, rigidez muscular global e tremores em áreas específicas do corpo, ou mesmo generalizados. Ainda há a possibilidade de o paciente apresentar alterações e desequilíbrios na postura, dificuldades na fala e movimentos.

Uma vez que os movimentos do Pilates são controlados, eles podem fazer uma enorme diferença para pessoas com mal de Parkinson, pois os sintomas podem ser retardados e até mesmo controlados. São melhoras que podem ser notadas muito cedo pelos próprios pacientes: o andar, o equilíbrio, a força muscular e o alongamento da musculatura rígida.

A estimulação a prática deve ser feita com todo o cuidado, observando as especificidades de cada paciente. Os exercícios de solo ou com a utilização de aparelhos e acessórios, contribuem para a manutenção do equilíbrio da consciência e da movimentação corporal e minimizando os sintomas.

Fonte:http://revistapilates.com.br/